JA Wall - шаблон joomla Форекс

Nesta 15ª edição muito nos leva à infância – à convivência das crianças no espaço escolar e às interrogações sobre a produção de sentidos que nele se estabelece. Ainda que distintos em suas abordagens, os textos confluem no sentido de trazer à vista a importância da expressividade do viver na mobilidade dos corpos e das ações em sua relação com o ambiente. Embora distante da temática escolar, mas ainda em consonância à importância do ‘estar vivo’, o segundo artigo é abordado a partir de uma falha ambiental inegociável: a desigualdade, refletida na desnutrição e pobreza da infância maia guatemalteca.

O presente artigo é fruto de uma pesquisa sobre a adolescência e a educação no contexto social contemporâneo, que vem sendo realizada na Faculdade de Educação da Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro.

Este artigo busca refletir sobre o movimento das ocupações das escolas ressaltando a inovação que essa experiência traz para se repensar a escolarização de jovens, sobretudo nos laços que podem ser estabelecidos entre os jovens e a escola.

Pretende-se retomar o debate de Derrida sobre a concepção de linguagem e seu encontro com a psicanálise. Apesar de constatar a influência da tradição filosófica da metafísica nos conceitos metapsicológicos da psicanálise, Derrida reconhece no discurso freudiano um potencial de desconstrução da concepção de linguagem associada a uma atividade representativa verbal

O artigo pretende analisar a manifestação da violência na juventude, especialmente, em relação aos casos de conflito entre grupo de jovens.

Com o objetivo de refletir sobre o resultado das eleições presidenciais de 2014 e sobre as vontades políticas dos eleitores.

Esta epígrafe nos sugere que no estudo das campanhas eleitorais podemos encontrar as razões que levam os eleitores a escolher ou rejeitar candidatos, tendo como referência o estado geral de uma sociedade, tal como as campanhas o interpretam e apresentam para o público eleitor. As campanhas dialogam com o eleitor com o objetivo de persuadi-lo a votar em determinado candidato e a rejeitar seus adversários. Nesse sentido, a explicação de um resultado eleitoral passa, necessariamente, pela análise do debate que as campanhas travam entre si.

O estudo ora apresentado tem como foco principal a análise das estratégias narrativas da mídia impressa durante períodos de campanha eleitoral, e segue uma linha de pesquisa com a qual venho trabalhando desde a minha dissertação de mestrado.

As eleições de 1996 para as prefeituras brasileiras trouxeram uma novidade em termos de campanha na televisão: a introdução como propaganda eleitoral gratuita, além dos programas tradicionais veiculados duas vezes por dia, de inserções publicitárias de 30 e 60 segundos ao longo da programação normal das emissoras.

A produção e difusão de informações políticas devem ser incluídas nas prioridades dos atores políticos? Quais as vantagens para a democracia trazidas pela participação ativa das instituições no mercado informacional?